30 de set de 2008

Cavalgada da Confraternização

Domingo de sol, famílias reunidas, crianças brincando. As pessoas aproveitaram o dia para cavalgar, curtir a natureza, dançar, almoçar e tomar chimarrão. É incrível, mas sempre tem uns brigões que tentam ofuscar o brilho da festa. Mas que nada, os seguranças de preto botaram ordem na casa e a polícia militar que também estava por ali acalmou os encrenqueiros e a festa continuou num clima total de confraternização.

O baile rolou solto ao som do Grupo Musical San Thiago (foto) , que botou o pessoal para dançar até o pé doer. Foi assim que aconteceu a 2ª Cavalgada de Sambaqui, realizada no dia 21 de Setembro, no sítio Makowiecky, na Barra do Sambaqui.


O evento foi organizado pelos Amigos da Cavalgada de Sambaqui e contou com um público aproximado de 900 pessoas.

O evento iniciou por volta das 10h com a tradicional cavalgada e contou com a participação de 215 cavaleiros, que percorreram os bairros de Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui. Vários Piquetes (grupo de laçadores, independentes ou filiados à Centros ou Movimentos Tradicionalistas) de Florianópolis, São José e Biguaçú estiveram presentes, como, por exemplo os Piquetes Nativos da Ilha, Da Família, Caldeirão, Vô Nery, Jambolão do C.T.G. Querência Jambolão, Laço da Amizade, Sela de Prata do C.T.G Sela de Prata.

A cavalgada, que acontece a cada dois anos foi considerada um sucesso, comparada à primeira edição realizada em 2006, que reuniu 89 cavaleiros e um público total de 180 pessoas, comenta Vladimir Campos Gomes, um dos organizadores do evento.


Euclides de Sousa Dutra Filho (foto), outro membro da organização do evento, afirmou que a realização e o sucesso do evento se deve ao empenho de muitas pessoas e dos patrocinadores que tiveram um papel fundamental.

Para Djalma Santos, integrante do Piquete Vô Nery, “o evento está muito bom. É muito importante termos aqui em Florianópolis um evento desse porte que proporciona aos participantes uma grande confraternização”.

“A organização está muito boa. Os organizadores do evento estão de parabéns”, completa Edson Pereira Nunes, um dos participantes.

Assista no vídeo abaixo alguns momentos do evento.

As fotos podem ser visualizadas aqui.




18 de set de 2008

2ª Cavalgada de Sambaqui

No próximo dia 21 de Setembro, domingo, acontece a 2ª Cavalgada de Sambaqui. O evento será no sítio do Makowiecky no final da Rodovia Izid Dutra, ao lado do Deca Deca, na Barra do Sambaqui.

Horário de saída para a cavalgada será às 9h, no retorno baile com almoço festivo.

Informações:
48-91418176/99194710/32351484.

Organização:
Amigos da Cavalgada de Sambaqui.

Mapa:


Ampliar


Projeto Pescadores de Cultura

A Associação Cultural Baiacú de Alguém lançou o seu primeiro projeto cultural intitulado “Pescadores de Cultura”, no dia 12 de Setembro às 19:30h em sua sede situada à Rua Padre Lourenço Rodrigues de Andrade nº 650, bairro Santo Antonio de Lisboa.

O objetivo do projeto é promover a
mobilização sócio-cultural do Distrito de Santo Antônio de Lisboa, envolvendo as comunidades de Santo Antônio de Lisboa, Cacupé, Sambaqui e Barra do Sambaqui, com vistas a contribuir na geração de oportunidades de inclusão social para jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Para isso, serão realizadas oficinas pedagógicas de música, teatro do oprimido, confecção de bonecos e multiplicadores de cultura e cidadania.

O projeto é patrocinado pela Fundação Luterana de Diaconia e conta com as parcerias da Associação de Bairro de Sambaqui (ABS); Associação de Moradores do Antônio de Lisboa (AMSAL), Associação Recreativa Cultural e Esportiva Avante Santo Antônio de Lisboa (ARCE), entre outros.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o dia
05/10 na sede da Associação ou através do site http://www.baiacudealguem.com.br. As oficinas serão ministradas na sede da Associação em Santo Antônio de Lisboa, sendo que cada tipo de oficina ocorrerá em dias e períodos específicos entre Setembro de 2008 e Março de 2009. Maiores informações através dos telefones: 48-84441133 com Denilson Machado (Coordenador Geral do Projeto) ou 48-32351181 (Sede da Associação Cultural Baiacú de Alguém).


12 de set de 2008

Tecelagem Manual na ABS.

A Associação do Bairro de Sambaqui (ABS), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação – CEDUP, está promovendo o curso profissionalizante de Tecelagem Manual, níveis básico e avançado. O curso básico teve início no dia oito de maio e deve finalizar até o final deste mês, onde a mesma turma segue para o nível avançado. Essa primeira turma conta com 13 alunas inscritas. As aulas acontecem todas as terças e quintas-feiras no anexo ao Casarão, na Rodovia Gilson da Costa Xavier nº 2990, na ponta do Sambaqui, das 14 às 17h.

A Tecelagem Manual possibilita a elaboração de tecidos destinados à confecção de produtos como bolsas, cortinas, toalhas, jogos americanos, vestuários, utilitários, tapeçarias de parede, tapetes etc.

Para tecer é necessário um equipamento chamado "tear". O que é mais utilizado pelos principiantes é conhecido pelo nome de "Tear Pente-Liço", que possibilita de uma forma simples e rápida, a execução de peças utilitárias e decorativas.

O professor Áquila Klippel enfatiza que a prática do tear traz vários benefícios, como o desenvolvimento da parte artística, a coordenação motora e a concentração. Além disso é uma forma de aumentar a renda familiar. Entre as alunas vários são os objetivos e benefícios que a prática do tear possibilita. Para a aluna Maria Emilia Arroio, por exemplo, “o objetivo de estar realizando o curso é pra fins de comercialização, para conhecer novas pessoas e é uma forma de terapia também”. Já para a aluna Inês Bernal, “o objetivo principal é fazer um trabalho manual alternativo que desenvolva a calma, a tranqüilidade e a concentração”.

Assista um pouco da aula no vídeo abaixo produzido por Angelita Brandão com a trilha sonora ‘Uma Valsa e Dois Amores’
de Vicente Celestino, interpretado por Dilermando Reis.

Fotos do evento poderão ser visualizadas aqui.



.

10 de set de 2008

25 anos da ABS.

A Associação do Bairro de Sambaqui (ABS), comemorou seus 25 anos de fundação com um coquetel, realizado no dia 23 Agosto às 20h na atual secretaria (anexo ao Casarão), na ponta do Sambaqui.

A ABS foi criada em 28 de agosto de 1983, cuja luta sempre foi pela defesa do patrimônio ecológico, histórico e cultural do bairro de Sambaqui. Suas principais realizações foram: A instalação de uma praça pelo sistema de mutirão; um parque infantil; obtenção da antiga casa da Alfândega (Casarão) para uso comunitário; revitalização do folclore local (boi-de-mamão, pau-de-fita, ratoeira, terno de reis, renda-de-bilro); efetivação de debates políticos; apoio para a realização anual da Festa da Santa Cruz; exposições de pintores, escultores e outros artistas locais; realização anual da gincana do bairro (GINCAPONTA); palestras e debates educativos, oficinas (teatro, canto, cerâmica, renda-de-bilro e tear).

O evento contou com a participação da comunidade que assistiu a vários depoimentos sobre a história da ABS. Algumas pessoas foram homenageadas (veja as fotos) como, por exemplo, os fundadores, ex-diretoria, colaboradores, a atual diretoria e pessoas que nasceram no Casarão, como a Sra. Eurídice e a Sra. Vanda. Cada pessoa homenageada recebeu um “pão-por-Deus” em formato de coração, em couro e renda de bilro contendo um versinho de agradecimento.

Para o historiador e ex-diretor da ABS, Sérgio Ferreira, a Associação do Bairro de Sambaqui ao longo desses anos teve um papel fundamental para a comunidade. Atuando não só nas reivindicações mas também na preservação da vida e da cultura, como aconteceu com o boi-de-mamão que se tornou um símbolo de luta, chamando a atenção para preservação do meio ambiente e da cultura local. Sérgio Ferreira também trouxe novidades sobre o processo licitatório para a restauração do Casarão, informando que ocorreu a abertura da carta convite mas que infelizmente não apareceu nenhuma empresa interessada, e que nesse mês será aberto um novo processo licitatório.

Após as devidas homenagens o coquetel foi abrilhantado com a participação do cantor Reinaldo e dos músicos, Carlinhos, mestre do boi, e Mauro, que foi o primeiro diretor da ABS.

Assista no vídeo abaixo, produzido por Angelita Brandão, os depoimentos de Sérgio Ferreira, Sra. Vanda e Sra. Eurídice.